Arnaldo Baptista – Singin’ Alone (1982)

450xN

4a4e7-downloadpic3Em 1982, Arnaldo saía de um período negro. Após uma passagem confusa pela Patrulha do Espaço, se viu internado no Hospital do Servidor Público de São Paulo, após vários problemas emocionais e profissionais ocasionado por substâncias pesadas, entre elas o LSD. Arnaldo acabou caindo do terceiro andar do local, em um incidente nebuloso. Alguns relatos dão conta de que o ocorrido fora um acidente, após uma briga com enfermeiros, que tentavam acalmá-lo em um momento de fúria. O fato é que passou três meses em coma na UTI e aos poucos foi se recuperando. Nesse período recebia visitas de Luiz Calanca, que havia acabado de montar o selo Baratos Afins e queria lançar um novo álbum do ex-Mutante. Gravá-lo, porém, não era simples. Desde os tempos dos Mutantes insistia em algumas idéias de maneira obsessiva, como o uso de amplificadores valvulados, a paixão pela guitarra Gibson Les Paul e pelo baixo Gibson SG. Assim, ele entra nos estúdios Abertura para gravar e tocar todos os instrumentos do disco, seguindo o modelo de Paul McCartney em seus dois primeiros discos-solos. Arnaldo teria apenas a companhia da parceira Suzana Braga nos backing vocals em “The Cowboy” e “Corta Jaca”. Dessa maneira, é editado o segundo LP, onde mostra um Arnaldo totalmente diferente daquele apresentado oito anos antes, em Lóki?, um disco cheio de letras em inglês (sete, no total) e letras mais utópicas. O álbum trazia um músico diferente, cantando de uma maneira mais grave, compondo canções mais experimentais do que o disco anterior e misturando experiências pessoais com delírios e sonhos.