Carlos Maltz – Farinha do Mesmo Saco (2002)

13553392_10153539707377413_1674102039_n

4a4e7-downloadpic3Carlos Maltz, após sua saída dos Engenheiros do Hawaii, voltou a ser underground: gravou um CD com o grupo Irmandade Interplanetária, passou a estudar profundamente astrologia – assunto ao qual ele já dedicava desde o começo dos anos 90 – e praticamente surmiu do mercado musical. O reaparecimento de Maltz está se deu no ano de 2002, com seu primeiro verdadeiro disco solo, Farinha do Mesmo Saco, lançado às próprias custas. Maltz, que saíra dos Engenheiros por questões ideológicas (ele começou a não concordar com as letras do líder-mentor Humberto Gessinger) pela primeira vez assina, sozinho ou com parceiros, todas as faixas de um disco. Após ficar anos sem contato com Humberto, Maltz, que reencontrou-se com ele numa simples troca de e-mails (que gerou a faixa e-stória, do disco dos EngHaw, Surfando Karmas & DNA), teve a colaboração do antigo parceiro em inúmeras faixas. Maltz canta – com um registro vocal aproximado do rock rural e da country music – toca, bateria e violão. Gessinger canta na faixa de abertura, toca guitarra, baixo e é um dos produtores, junto a Maltz, Fábio Tabach, Rodrigo Kuster e Guto Dufrayer. De acordo com Carlos, não houve problemas para juntar cinco produtores num disco, já que “todos estavam lá para ajudar um amigo”. O CD, que ainda contém gravações feitas em 1997 e 1999, foi todo concebido no estúdio carioca Casa de Pedra (antigo Rock House), que vem apostando no trabalho de Maltz há tempos.