Pink Floyd – The Man & The Journey (1969)

dd04cd73b2ba7b2385cf21b78dbd9031.1000x1000x1

4a4e7-downloadpic3The Man & The Journey era um projeto que o Pink Floyd estava trabalhando em 1969, mas que nunca foi lançado. O mesmo projeto é freqüentemente chamado de The Massed Gadgets Of Auximenes, que era o título de uma série de concertos em 1969 durante os quais o Pink Floyd tocou duas suites, uma foi chamada The Man e a outra The Journey, por conseqüência disto o título The Man & The Journey. O primeiro desempenho da peça aconteceu no dia 14 de abril de 1969, em Londres e depois foi executado várias vezes no resto do ano. Duas canções do projeto foram originadas dos álbuns The Piper At The Gates Of Dawn e A Saucerful Of Secrets, mas todas as outras eram de um material composto recentemente. Existem rumores que The Man & The Journey foi planejado originalmente para o lançamento de um álbum. Mas, o Pink Floyd tinha em andamento muitos projetos diferentes em 1969 e muitas canções acabaram lançadas pulverizadas nestes projetos. Algumas delas foram usadas na trilha sonora do filme More, outras viraram composições individuais no disco de estúdio de Ummagumma e uma apareceu na trilha sonora de Zabriskie Point. No começo do ano seguinte, 9 das 13 canções compostas nas duas suites já haviam sido lançadas. Das 4 canções restantes, 1 terminaria em Relics em 1971, e as outras 3 nunca chegaram a ser lançadas.

Pink Floyd – Endless River (2014)

front

4a4e7-downloadpic3The Endless River é o décimo quinto e último álbum de estúdio da banda britânica de rock Pink Floyd, lançado no dia 7 de novembro de 2014 pelas gravadoras Parlophone no Reino Unido e Columbia nos EUA, no Japão e na América Latina. O projeto é baseado em sessões excluídas do último álbum, The Division Bell, o qual contém várias contribuições do tecladista e compositor Richard Wright, falecido em 2008 por causa de um câncer. Assim como os dois álbuns anteriores, The Endless River não contém colaborações de Roger Waters, ficando a cargo do músico convidado Guy Pratt a execução de baixo e da esposa de Gilmour, Polly Samson a maior parte das letras. Segundo Nick Mason, em seu livro Inside Out: A Personal History of Pink Floyd, as canções eram suficientes para um novo disco, o qual foi apelidado de The Big Spliff, embora tenha sido guardado, e mais recentemente retrabalhado.

Pink Floyd – Echoes : The Best Of Pink Floyd (2001)

81Uau0CKG4L._SL1500_

4a4e7-downloadpic3Echoes: The Best of Pink Floyd é uma compilação da banda britânica de rock Pink Floyd, lançada em novembro de 2001. Chegou a ser #2 de vendas da Billboard 200 em seu mês de lançamento. Atingiu o ouro, platina e dupla platina em dezembro nos Estados Unidos, onde foi recentemente listado como tripla platina (3 milhões de cópias vendidas). O disco inclui boa parte do trabalho da banda, desde “Arnold Layne”, de 1967, até The Division Bell, de 1994. Possui músicas de todos os álbuns, exceto de Atom Heart Mother, Ummagumma, Obscured By Clouds e Music From The Film More. As músicas do álbum são sequências umas das outras (não há espaço entre uma música e outra) e todas foram remasterizadas para a compilação.

Pink Floyd – Pulse (1995)

pulse-pink-floyd-emi-1995

4a4e7-downloadpic3Pulse (estilizado como p.u.l.s.e) é um álbum duplo ao vivo da banda britânica Pink Floyd, lançado em 1995. O álbum foi gravado durante a turnê de promoção de The Division Bell na Europa e nos Estados Unidos entre março e outubro de 1994. O álbum inclui uma versão ao vivo completa de The Dark Side of the Moon. P•U•L•S•E chegou a nº 1 na tabela da Billboard em junho de 1995 e foram-lhe atribuídos disco de ouro, platina e dupla platina em 31 de julho do mesmo ano. A cassete tem duas faixas extras, “One of These Days” e 22 minutos de música ambiente. No Brasil foram vendidas mais de 100 mil cópias e o álbum foi certificado com Disco de Diamante pela ABPD. O álbum apresenta, entre faixas de outros discos, todas as músicas do The Dark Side of the Moon.

Pink Floyd – The Division Bell (1994)

img20190327200604863

4a4e7-downloadpic3The Division Bell é o décimo quarto álbum de estúdio da banda britânica de rock Pink Floyd. O disco foi lançado em 28 de março de 1994 no Reino Unido pela EMI Records e em 5 de abril nos Estados Unidos pela Columbia Records. É o segundo sem o baixista Roger Waters. Suas canções foram escritas principalmente pelo guitarrista David Gilmour e pelo tecladista Richard Wright e tem como principal tema a falta de comunicação, junto com outras questões como o isolamento, conflitos e autodefesa. Foi gravado em vários estúdios entre 1993 e 1994, incluindo o Britannia Row Studios e o barco-estúdio de David Gilmour, Astoria. A equipe de produção escolheu o produtor Bob Ezrin, o engenheiro Andy Jackson e o saxofonista Dick Parry para trabalharem na obra. A esposa de Gilmour, Polly Samson, coescreveu muitas das letras do álbum e Wright contribui como vocalista principal em um trabalho do Pink Floyd pela primeira vez desde The Dark Side of the Moon, de 1973. O disco foi número um no Reino Unido e nos EUA, mas recebeu críticas negativas. Seu lançamento foi seguido imediatamente por uma turnê nos EUA e na Europa. The Division Bell foi certificado de ouro, platina e dupla platina nos EUA em Junho de 1994, e platina tripla em janeiro de 1999.