Ira! – Isso é Amor (1999)

Capa

4a4e7-downloadpic3Isso é Amor é um álbum de covers da banda brasileira de rock (n) Ira!, lançado em 1999. O disco reúne grandes nomes da MPB e do Rock brasileiro, como Erasmo Carlos, Tim Maia, Lô Borges, Lobão, Ronnie Von, Chico Buarque, entre outros. Os grandes hits do disco foram as músicas Bebendo Vinho, regravação do músico gaúcho Wander Wildner (ex-Replicantes), lançada em 1996, no primeiro álbum solo do cantor, e Teorema, da Legião Urbana, lançada em 1985, no primeiro disco do grupo brasiliense. Essas músicas foram bem executadas entre os anos de 1999 e 2000, trazendo o Ira! de volta para o mainstream, vendendo cerca de 80 mil cópias na época do seu lançamento.

Ira! – Invísivel DJ (2007)

ira-invisivel-dj

4a4e7-downloadpic3Invisível DJ é o último álbum da banda de rock brasileira Ira!. É o primeiro disco de inéditas, desde Entre Seus Rins, de 2001, e foi lançado após o grande sucesso do Acústico MTV Ira!, de 2004. O disco que comemora os 25 anos da banda, foi produzido por Rick Bonadio, e logo após seu lançamento ganhou um DVD, com os bastidores da gravação do álbum. O primeiro single deste disco foi “Eu vou tentar”, composta por Rodrigo Koala, integrante da banda Hateen, ganhou um clipe dirigido pelo ator Selton Mello, e foi o grande carro-chefe deste álbum. Uma balada de refrão grudento, que serviu de ponte entre os antigos fãs, e os novos, acolhidos pós-acústico. Logo em seguida, foi a vez de “Mariana foi pro mar”, uma canção folk, que conta a história de uma mulher abandonada pelo marido, a virar clipe. Após o início da turnê “Invisível DJ” deu-se o desentendimento do ex-vocalista Nasi com seu irmão e também empresário do Ira!, que lhe causou a sua retirada da banda, após 26 anos de estrada. A partir de então, Edgard Scandurra assumiu os vocais da banda, cumprindo os compromissos já agendados, e parando para férias em 2008, para, um ano após, voltar com uma nova banda, formada pelos três integrantes remanescentes. Provisoriamente, o nome desta banda seria O Trio.

Ira! – 7 (1996)

Ira-1996-7

4a4e7-downloadpic3Em 1996, Sete ou 7 é um álbum de estúdio da banda brasileira Ira!, lançado no ano de 1996. Foi o primeiro lançamento do grupo após o encerramento do contrato com a WEA. Já na gravadora Paradoxx, o grupo lançou o disco 7 (o primeiro CD da banda, antes eram LPs). Como faixa bônus, o disco trazia “Nasci em 62”, tirada de um show com participação de Arnaldo Antunes. O álbum foi gravado logo após uma turnê de quatro shows no Japão que culminaram com uma apresentação no Club Cittá.

Ira! – Acústico MTV (2004)

cd-ira-acustico-mtv-D_NQ_NP_595521-MLB20809342255_072016-F

4a4e7-downloadpic3Acústico MTV é um álbum de 2004 da banda brasileira Ira!. Foi o segundo projeto da banda pela MTV e primeiro lançado pela Arsenal Music. É o disco mais bem sucedido da história da banda, alcançando na época cerca de 300 mil cópias vendidas. O disco traz as participações do cantor Samuel Rosa (líder do Skank, na música “Tarde Vazia”), da cantora Pitty (em “Eu Quero Sempre Mais”) e Os Paralamas do Sucesso (na canção “Envelheço na Cidade”).

Ira! – Meninos da Rua Paulo (1991)

ira-meninos-da-rua-paulo

4a4e7-downloadpic3Meninos da Rua Paulo é um álbum de estúdio da banda brasileira de rock Ira!, lançado em 1991. Meninos da Rua Paulo foi uma espécie de volta às origens do próprio Ira!, ao rememorar a “fase mod” compreendida nos dois primeiros discos. O trabalho de composição do repertório se deu de forma mais tranquila para o grupo do que na época do LP anterior, Clandestino. O álbum traz duas versões em português de canções do rock britânico sessentista: “Imagens de Você”, baseada em “Pictures of a Matchstick Man”, da banda Status Quo, e a já mencionada “Você Ainda Pode Sonhar”, que se trata de uma regravação de uma versão feita por Raul Seixas, ainda na época do conjunto Os Panteras, para a célebre canção “Lucy In The Sky With Diamonds”, dos Beatles. Esta última, na versão do Ira!, traz um sampler do famoso misto de batidas percussivas e palmas de “We Will Rock You”, da banda Queen. É o único álbum do grupo que possui um tema totalmente instrumental – no caso, a faixa de encerramento. Além disso, no disco ficou notória a mudança da voz de Nasi, que se tornou mais rouca e mais grave a partir desta época – fato que já podia ser constatado em algumas faixas de Clandestino.