Yes – Close To The Edge (1972)

Yes - Close To The Edge - Front

4a4e7-downloadpic3Close to the Edge é o quinto álbum da banda britânica de rock progressivo Yes. Tendo sido lançado em 1972 pela Atlantic Records, é considerado por muitos fãs e críticos a grande obra-prima da banda. O álbum também marca a saída do baterista Bill Bruford, que em junho de 1972, logo após o término das gravações do álbum, deixou a banda para tocar no King Crimson, tendo sido substituído por Alan White. Close to the Edge iniciou uma tendência da banda em incluir uma canção no modelo épico, significantemente mais longa que as outras, o que foi seguido em álbuns seguintes como Relayer (1974, com a canção “The Gates of Delirium”) e Going for the One (1977, com a canção “Awaken”). As influências religiosas introduzidas por Jon Anderson, que posteriormente formariam a base de Tales from Topographic Oceans, já estão evidentes nas composições e letras das três faixas do álbum. Renovação e repetição também são outros temas principais; a faixa título inicia e termina com o mesmo efeito sonoro de água e pássaros e em “Siberian Khatru” existe a repetição de termos de duas sílabas. De acordo com o sítio oficial da banda, a canção título é inspirada pelo livro de Hermann Hesse Sidarta, o que explana várias letras misteriosas. Em referência à música clássica e seguindo outros artistas do rock progressivo, as duas primeiras canções do álbum são divididas em quatro andamentos.

Yes – Fragile (1971)

Yes - Fragile - Fron

4a4e7-downloadpic3Fragile é o quarto álbum da banda britânica de rock progressivo Yes. É mais conhecido pela música “Roundabout”, que foi lançada em uma versão editada na forma de single e se tornou o primeiro grande sucesso da banda. Este disco deu início a duas parcerias longas e produtivas: com o tecladista Rick Wakeman e com o artista plástico Roger Dean. Também foi o primeiro disco à alcançar o top 10 trans-atlântico. Fragile foi lançado no Reino Unido em Novembro de 1971, mas só foi lançado na América do Norte dois meses depois devido ao sucesso de The Yes Album, ainda em evidência. Diferente dos discos anteriores do Yes, este disco apresentava os talentos individuais dos membros da banda. Isso foi feito para poupar o tempo de gravação e lançar o disco rapidamente, já que a banda precisava de dinheiro para pagar o equipamento de Wakeman. “Cans and Brahms” é uma composição de Johannes Brahms, arranjada por Rick Wakeman; “We Have Heaven” é uma composição de Jon Anderson onde ele canta todas as partes vocais, criando várias harmonias (ele viria a usar essa técnica novamente em seu disco solo Olias of Sunhillow); enquanto “Five Per Cent For Nothing”, “The Fish” e “Mood For A Day” são de Bill Bruford, Chris Squire e Steve Howe, respectivamente. O restante das músicas é de autoria de toda a banda.

Yes – Time And a Word (1970)

yes-time-and-a-word-front-800

4a4e7-downloadpic3Time And a Word é o segundo álbum da banda de rock progressivo Yes. É o último a contar com o guitarrista Peter Banks, que deixou o grupo logo depois do lançamento deste álbum. Em seu lugar entrou Steve Howe, que estreou no álbum seguinte, The Yes Album (apesar de não tocar em Time and a Word, Howe aparece na capa da versão americana, que é diferente da britânica). É o primeiro álbum da banda a contar com uma orquestra de acompanhamento (o segundo foi Magnification), dando vida ao chamado Rock sinfônico. Também foi o primeiro a atingir as paradas, alcançando o 45º lugar no Reino Unido (não entrou nas paradas estadunidenses). Depois do lançamento, o grupo iria se reconfigurar e começar a gravar o terceiro álbum logo em seguida, para, enfim, atingir realmente o sucesso e ganhar o mundo.

Yes – Yes (1969)

Front

4a4e7-downloadpic3Yes é o álbum de estreia da banda britânica de rock progressivo Yes, lançado em 1969. A formação original consistia no vocalista Jon Anderson, o baixista Chris Squire, o guitarrista Peter Banks, o tecladista Tony Kaye e o baterista Bill Bruford. Apesar de considerado pela crítica como uma bela abordagem para o começo da banda, o álbum não teve sucesso comercial grande, devido em parte pela inexperiência da banda com os produtores. Yes acabou apagado na media pelo álbum de estréia do Led Zeppelin, lançado pouco antes. Duas das oito canções presentes são covers: “Every Little Thing” do The Beatles e “I See You” do The Byrds.

Yes – The Yes Album (1971)

d44b98b67aeb2f5a895b7c1bd5fd9853

4a4e7-downloadpic3The Yes Album é o terceiro álbum da banda britânica de rock progressivo Yes. O primeiro a contar com a participação do guitarrista Steve Howe, foi lançado pela Atlantic Records em março de 1971. Este foi o álbum que finalmente alavancou a carreira do Yes, tendo alcançado #4 no Reino Unido e #40 nos Estados Unidos, onde chegou a álbum de platina. Além de ser o primeiro disco com Steve Howe, também foi o último, por um período de doze anos, a contar com Tony Kaye, que só retornaria ao Yes em 1983.