Marcelo Nova – Eu Vi o Futuro, Baby. Ele é Passado (1998)

unnamed

4a4e7-downloadpic3Eu Vi o Futuro, Baby. Ele é Passado é o quinto álbum do artista brasileiro Marcelo Nova, lançado em 1998. Após o retorno do Camisa de Vênus em 1995 e do lançamento de dois álbuns, sendo um ao vivo (Plugado!) e um de estúdio (Quem É Você), Marcelo Nova saiu em carreira solo novamente. A inspiração para fazer o disco veio quando Marcelo viu um feto em uma ultra-sonografia e ficou pensando que ele pulsava num ritmo exato, não tinha futuro, nem passado, era um ponto de luz. O disco traz releituras de várias músicas lançadas ao longo da carreira de Marcelo Nova, tanto solo como com o Camisa de Vênus. A banda de apoio conta com um único músico, Johnny Boy, que tocou todos os instrumentos em todas as faixas com exceção da faixa Faça a Coisa Certa, na qual Marcelo Nova toca todos os instrumentos.do é o quinto álbum do artista brasileiro Marcelo Nova, lançado em 1998.

Eric Burdon & Marcelo Nova – The Windows Of Perception (2008)

capaCD

4a4e7-downloadpic3Em 1996, Marcelo Nova convidou o grande Eric Burdon para participar das gravações do último álbum de estúdio do Camisa de Vênus. Para retribuir, Nova compôs e cedeu algumas canções do Camisa para Burdon gravar no seu álbum de 1997. Daí em diante nasceu uma amizade, que continua a dar frutos. Os últimos, em forma musical, foram os dois álbuns lançados em 2006 e 2008, respectivamente, em homenagem ao The Doors, mas também há canções de Animals e Camisa.

Marcelo Nova – 12 Fêmeas (2013)

12femeas

4a4e7-downloadpic312 Fêmeas é o sétimo álbum de estúdio de Marcelo Nova, lançado em 30 de abril de 2013, inicialmente na iTunes Store. Após oito anos sem gravar um disco de inéditas, Marcelo Nova retorna com seu novo trabalho “12 Fêmeas”. O álbum contém músicas que traduzem sentimentos, envolvimentos e reflexões sobre o sexo feminino. São doze canções de amor e ódio, êxtase e dor, perda e redenção. Com alguns elementos inusitados, o álbum mantém a forte impressão digital de quem tem a sua marca registrada há mais de 30 anos. Produzido e gravado quase na sua totalidade apenas por Marcelo Nova (voz e guitarra), seu filho Drake Nova (guitarras e violões) e Luis De Boni (piano, órgão, harpsichord, contrabaixo e violões), o disco traz algumas participações singulares. Aidan Drummond, escocês de passagem pelo Brasil, gravou um solo de gaita de foles (bagpipes) em uma das canções enquanto o melódico e dramático violoncelo foi tocado por Antonieta Minella em três faixas do álbum. A participação mais marcante fica por conta do monge tibetano Goba Wangka. Realizando toda a parte percussiva do disco, Goba tocou, além de bateria, uma variedade de instrumentos, a maioria desconhecida do público ocidental. Outras três faixas do álbum contam com a participação de Leandro Dalle e Célio Glouster, respectivamente baixista e baterista que, juntamente com Drake Nova na guitarra, acompanham Marcelo em turnê há mais de quatro anos. Expandindo a parceria ‘pai e filho’ para além dos palcos, a faixa “A Minha Inveja” marca a primeira composição em parceria de Marcelo e Drake. O tão esperado trabalho do Nova resultou num álbum surpreendente da primeira nota de guitarra ao último suspiro dos pratos. “12 Fêmeas” marca o retorno definitivo do Rei do Rock após um hiato de 8 anos sem lançar canções inéditas.